Quase todo mundo já ouviu (ou viveu) alguma história de “consumoterapia”: a pessoa estava deprimida ou chateada, foi para a rua espairecer e voltou contente e com um pacote de algo que comprou – ou muitos pacotes, dependendo da situação financeira ou da falta de controle do deprimido. Mas será que essa compensação psicológica do consumo tem alguma base científica? Segundo os pesquisadores da Universidade de Westminster, na Inglaterra, tem sim.

Em um teste com 50 voluntários, os cientistas mediram a atividade cerebral das pessoas durante atividades cotidianas, avaliando as respostas dos chamados centros de prazer. O resultado foi que ganhar um cupom de desconto provocou reações de prazer iguais ou mais intensas que assistir a um filme erótico. As notícias sobre a pesquisa não especificaram porém o sexo e a idade dos voluntários.

Para mais informações, clique aqui.

A vendedora da loja ainda não pergunta “foi bom pra você?”, mas estudo mostra que fazer uma boa compra pode produzir mais prazer do que uma relação sexual

Tags:  , ,