No Brasil, autoridade (real ou imaginária) muitas vezes vem precedida por “abuso de”. Num país com história altamente cartorial e burocrática, é difícil encontrar alguém que nunca tenha testemunhado, ou mesmo protagonizado, uma “carteirada” – o ato de usar o cargo para obter vantagens ou se impor em uma disputa. O Fantástico ouviu a antropóloga Lívia Barbosa, autora do livro “Igualdade e Meritocracia”, para quem a pessoa que saca o famoso “sabe com quem está falando” quer ser percebida como especial e receber um tratamento diferenciado.

A reportagem narra casos que vão do cômico, como um duelo de carteiradas numa churrascaria carioca, ao brutal – o caso de uma policial presa no Rio de Janeiro por multar o carro de um desembargador. Clique aqui para ver a reportagem completa.

É possível acabar com a cultura da carteirada no Brasil? Mande sua opinião.

Num restaurante do Rio, mãe de delegada tenta usar a autoridade da filha em um bate-boca, mostra reportagem do “Fantástico” Leonardo Pimentel

Leonardo Pimentel é jornalista, editor do site "Por que a gente é assim?", blogueiro bissexto, nerd proud e caiu num caldeirão de mau humor quando era bebê.

Tags:  , , , , ,